Adormeço em ti minha vida,
- flor de sombra e de solidão -
da terra aos céus oferecida
para alguma constelação.

Não pergunto mais o motivo,
não pergunto mais a razão
de viver no mundo em que vivo,
pelas coisas que morrerão.

Adormeço em ti minha vida,
imóvel, na noite, e sem voz.
A lua, em meu peito perdida,
vê que tudo em mim somos nós.

Nós! - E no entanto eu sei que estão
brotando pela noite lisa
as lágrimas de uma canção
pelo que não se realiza...

(Cecília Meireles)

3 comentários:

Fernando Imaregna disse...

Oi queridíssima amiga...

Desculpa tá ? Sempre te visito mas acabo deixando de "comentar'...hehehehe
Liga não..coisa da idade...

Beijos...se cuide !

ps. DEUS TE ABENÇOE...

ps. 2 - amei CECILIA...

Elaine Freitas disse...

Olá querida!

que saudade do seu cantinho gostoso...
ando tão apressada ultimamente!com esse feriadão espero por a vida no lugar e dar uma bela desafogada!

Adoro os textos... acredito que são garimpados!

Beijos iluminados munha flor de amiga!

Bibiana Benites disse...

Nadia querida!

Fico contente de saber que gostas do "Enttreaspas". Volte mais vezes.

Seja bem-vinda flor.

Beijos meus.