A tarde se esvai e na
alma fica um silêncio
de sinos mudos,
uma espera ansiosa
de estrelas,
uma saudade fininha
de não se sabe o quê.

(Roseana Murray)

Um comentário:

BLOG DO PROFEX disse...

SAUDADE FININHA...
Bonita imagem. Não conhecia os textos de Roseana Murray. Vou ficar atento!
Em tempo:

Ah, postei um selo seu no blog, como indicou. Não soube qual era para levar. Então tomei a liberdade de criar um rapidamente aqui. Se gostar, traga-o pra cá.
Obrigado pelo carinho...
Grande abraço!