De vez em quando
eu vou ficar esperando você
numa tarde cinzenta de inverno.
Bem no meio duma praça.
Então os meus braços
não vão ser suficientes para abraçar você.
E a minha voz
vai querer dizer tanta
mas tanta coisa
que eu vou ficar calado um tempo enorme
Só olhando você, sem dizer
nada.
Só olhando e pensando
Meu Deus
mas como você me dói de vez em quando.

Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário: